Entrevista de Rarafónica a Gonzalo Parada (Presidente del CSANF)

Tamil Eelam Football Team -Viva World Cup 2012

sábado, 7 de mayo de 2011

Índios Caiapós inauguram estádio com festa típica e torneio de futebol na Aldeia Baú



O festejo que reuniu centenas de pessoas entre brancos e índios das três aldeias, marcou a inauguração do estádio Kamaú. O presidente da câmara apresentou um documento de doação de terreno urbano aos nativos, professores e estudantes participaram e o primeiro prefeito da cidade, Néri Prazeres se emocionou com a execução do hino progressense.

Por volta das 10:00h da manhã de sábado dia 14 de agosto foi dado início à cerimônia de abertura da festa. Os caiapós deram um show de organização e patriotismo. Cinco grupos de danças, com trajes e adereços típicos para ocasiões especiais se apresentaram. Sendo três masculinos e dois femininos, compostos por crianças, adolescestes e adultos, conduziram os pavilhões nacional, estadual, municipal e tribal, formando filas diante do palco onde se encontravam as autoridades indígenas, como caciques e líderes.

O presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Hamilton Alves, entregou ao cacique patriarca da tribo, um documento que comprova a doação, pela administração municipal, de um terreno com 2.800 metros quadrados para a construção da casa de saúde e de artesanato do Índio, na cidade e o empresário e patrono do estádio, Néri Prazeres que fizeram uso da palavra.

O evento aconteceu exclusivamente para inaugurar o campo de futebol, para comemorar a reabertura de parte da estrada de acesso à aldeia Baú, que já está com cerca de 30 km quase prontos do total de 72 km. A festividade foi aberta para toda a população em geral, com o intuito de fortalecer a integração entre brancos e índios.

Os Caiapós demonstraram toda gratidão que têm ao Néri Prazeres por tudo que já fez em benefício da comunidade indígena. Pela construção do campo de futebol como presente e pelo empenho teve quando foi prefeito da cidade, para que os índios fossem reconhecidos como população progressense e transferir seus negócios e todas as movimentações para o município, antes eram feitos na cidade de Colíder em Mato Grosso, entre outras ações. Néri se emocionou com a execução do hino de Novo Progresso e com o patriotismo dos nativos.

Empresários e pecuaristas doaram refrigerante e cerca de 200 kg de carne para o churrasco, o índios serviram pratos típicos na cultura, como tracajá e peixe assados no sistema convencional acompanhados de farinha de mandioca puba.

Os aborígines são muito bem organizados, promoveram um torneio de futebol com times de ambos os sexos, todos uniformizados, juiz e bandeirinhas com trajes a rigor, construíram uma choupana para abrigar as bebidas e para vestiário dos atletas e, uma barraca coberta de palha para sombrear os torcedores e contou com segurança particular feita por cinco guerreiros. Um programa de índio reúne toda a família.

Eles são apaixonados por futebol, como todo bom brasileiro cada torcedor opina na partida, dá sugestão aos jogadores e vibram com cada boa jogada feita. Quando fazem um gol, os atletas correm para o meio do campo e comemoram com dança grupal e ensaiada. Os torcedores gritam, pulam e soltam rojões. Um homem transmitia tudo em tempo real para as outras aldeias através de um rádio amador instalado ao lado do campo.

De modo geral o evento impressionou a todos que ainda não conheciam a cultura caiapó. Professoras que assistiram tudo disseram que gostariam de levar o modelo de organização e o exemplo de patriotismo deles para a sala de aula como uma boa lição a ser seguida.

http://pib.socioambiental.org/pt/noticias?id=90730